Carregando mapa...

Pedras do Caminho

Pontos de ônibus, praças e ruas de Cuiabá, Cuiabá,
Brasil
R$0
Arte
  • 277
  • 1
  • 10h Horário de Início
  • 13h Horário de Término
  • Livre

Descrição

Pedras do Caminho tem objetivos muito simples, ser inesperado e trazer alegria ao dia de pessoas que por um instante olham para baixo e encontram essas despretensiosas pedrinhas. Busca o exercício do olhar para as coisas do chão, para os pequenos detalhes e as pequenas belezas do dia a dia, quebrar a rotina de pessoas que andam pela cidade e trazer uma pouco de poesia e beleza nesse caminhar. As pedras serão espalhadas em pontos de ônibus, praças e ruas de Cuiabá, a ideia é que sejam encontradas aleatoriamente. As pessoas que as encontrarem poderão ficar com elas, deixá-las no mesmo lugar ou em um lugar diferente para que outras pessoas as encontrem.

A artista Cristina Silva diz:

Adoro livros escritos para o público infantil, dentre os meus favoritos está o querido “Pedro e Tina – uma amizade muito especial” do escritor Stephen Michael King. Alguns podem pensar que pelo nome me sinta um pouco Tina, mas na verdade me sinto 100% Pedro que sempre vê as coisas de uma maneira diferente, não à toa o livro começa com as seguintes frases: “Cada vez que Pedro tentava desenhar uma linha reta, ela saia toda torta. Quando todos à sua volta olhava para cima, Pedro olhava para baixo”.

Nesse movimento involuntário de fazer linhas tortas e olhar para baixo, sempre tive um encantamento pelas pequeninas coisas do chão (e viva Manoel de Barros!), pela terra, grama, mato rasteiro, folhas caídas e pelas pedras.

Algumas vezes me vi pintando pedras para presentear amigos ou apenas brincar com essa possibilidade. Há alguns dias pintei uma só por brincadeira e senti uma saudade imensa de fazer isso novamente, não por impulso artístico visto que não sei ao menos desenhar, apenas por vontade simples e vã. Dias desses navegando na internet encontrei a artista Elspeth McLean que pinta lindas mandalas em pedras e, também muitas outras pessoas pintando literalmente de tudo em pedras de vários formatos.

Não vou mentir, comecei, mal e porcamente, a copiar as ideias e a pintar minhas próprias pedrinhas. Minha vontade era, conforme ia pintando, deixar uma a uma em algum ponto pelo qual eu estivesse passando. Só para que alguém pudesse achá-las, assim sem querer, sem esperar, e levá-las para casa ou deixá-las ali mesmo.

Ao tomar conhecimento do projeto 100Em1Dia, pensei porque não? Pronto: assim nasceu a ação Pedras do Caminho, uma referência óbvia ao “No Meio do Caminho” de Carlos Drummond de Andrade e, que tem um objetivo simples, deixar mais bonito o dia de pessoas que por um instante olham para baixo e encontram algo inesperado. É importante ressaltar que as pedras não têm valor artístico e a ação não pretende ser inédita. Nosso objetivo é apenas quebrar a rotina de pessoas que andam pela cidade e trazer um pouco de poesia e beleza nesse caminhar.

No Meio do Caminho Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho Tinha uma pedra No meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento Na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho Tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho No meio do caminho tinha uma pedra.

Foto: Simone Hirata

1 Comentários

  1. Sandra marcal

    Linda e poética iniciativa! Uma reflexão, uma ação, uma emoção…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Desenvolvido por Arkhad | Conteúdo disponível em Licença Creative Commons | Autores das fotografias usadas